Administração condominial, terceirização de serviços, segurança e vigilância. Sua vida, nossa segurança.

Cuidados com o seu pet no condomínio

Quando se mora em um condomínio, seja ele vertical ou horizontal, algumas práticas de boa vizinhança são aconselháveis para que se mantenha a harmonia entre os moradores e minimize o surgimento de problemas entre os condôminos. Essas boas práticas também valem para quem possui algum animal de estimação.

Ter um pet é saudável, traz alegria à casa e faz a festa das crianças. No entanto, para quem compartilha do mesmo espaço com outros moradores, alguns cuidados são importantes na hora do passeio com o cachorro, na limpeza da urina e fezes e na escolha do porte do animal, que deve ser considerado de acordo com o ambiente e o espaço em que ele irá viver.

Para saber mais sobre como ter e cuidar de um animal de estimação dentro de um condomínio, confira uma entrevista com o adestrador de cães Diogo Fontes, proprietário da Villa Canina Hotel:

Dentro de um condomínio residencial, que boas práticas de vizinhança são indicadas para as pessoas que possuem animais domésticos em relação ao uso do espaço em comum?

Em relação ao uso do espaço comum de um condomínio, a regra principal é que o cão só pode frequentar o local se ele for totalmente dócil com as pessoas e com os outros animais. Outro ponto a ser observado é que o cão deve estar sempre preso na coleira junto ao seu dono, evitando que o mesmo vá a locais indesejados ou avance em pessoas ou outros animais. Também é importante evitar que o cão faça suas necessidades (urina e fezes) nas áreas comuns internas dos condomínios, como lobby, hall, corredores, lounge. Se isso ocorrer, deve-se limpar imediatamente. Também é importante lembrar que existem pessoas que não gostam ou tem medo de cães. Então, deve-se respeitar o espaço e manter uma distância dos demais moradores.

Por se tratar de um espaço privado, de uso coletivo e com grande número de crianças, que animais são mais indicados para ter e quais não são recomendados?

Esse é um assunto bem interessante, pois se uma pessoa realmente gosta de um cão, ela deve adquirir uma raça compatível com o local onde vive. Por que comprar um cão de porte grande para morar em um apartamento? Isso, com certeza, só servirá para satisfazer a vontade do dono, mas para o cão isso será bem ruim. O ideal é analisar o espaço antes de adquirir um cão. Por exemplo, se for um apartamento, é indicado um cão de pequeno porte que não seja muito hiperativo. Se for um condomínio de casas, pode se ter um cão de pequeno ou médio porte. E, se a casa for grande, também pode ser um cão de grande porte. Em relação ao tipo de raça, é aconselhado que o cão combine com perfil dos donos, ou seja, um cão que gosta de correr com um dono que também goste ou, um cão que gosta de brincar com um dono que também goste.

Em relação à higiene, existem mais recomendações além das básicas como: coleta das fezes e limpeza da urina?

A limpeza das fezes e da urina são primordiais em qualquer área para evitar a transmissão de doenças. Assim como a limpeza frequente dos quintais, recolhendo folhas secas e possíveis criadouros de mosquitos transmissores de doenças como a Leishmaniose, que é muito comum na região de Bauru. É importante lembrar, também, que há raças de cães que soltam muito pelo. Neste caso, o dono deve evitar ficar mexendo no pelo do animal em áreas comuns internas como, elevador e hall, para evitar que os pelos sujem o ambiente.

O que mais você considera importante que os condôminos saibam antes de se adotar um cão?

O mais importante é saber que o cão vai crescer. Então, se ele não for educado e algumas regras não forem estabelecidas, ele poderá ser um problema para o dono e para o vizinho que nada tem a ver com o animal. Em condomínios tudo acaba sendo dividido, por mais que se feche a porta ao entrar em sua casa, as paredes dos condomínios verticais são coladas. Então, latidos e cheiros são facilmente ouvidos e sentidos na moradia ao lado. Por isso, a dica mais importante é se planejar antes de ter um cão, escolhendo o porte e educando-o sempre que possível.

Rolar para cima